Fala, relações-públicas!

CASSANDRA BRUNETTO 

é natural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Graduada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, é Relações Públicas registrada no Conselho Regional de Relações Públicas: CONRERP- RS/SC 3056. Tem artigos publicados na Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação – INTERCOM. Em 2008, obteve a primeira colocação na categoria Terceiro Setor na Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação – EXPOCOM, durante o INTERCOM. Trabalhou como Produtora Cultural no Dia Internacional da Animação pela Associação Brasileira do Cinema de Animação – ABCA e Super8 Produções, em 2009, auxiliando na coordenação do evento em mais de 350 cidades do Brasil. Atuou no Marketing da AIESEC em Porto Alegre durante 2009 e 2010. Em 2010, foi Presidente do Comitê Organizador dos 40 Anos desta organização. Ainda em 2010, atuou como Relações Públicas da OZ Engenharia. É colunista de cinema no portal de entretenimento Qual é a Boa. Entre 2010 e 2011, atuou como Relações Públicas em Casablanca, Marrocos. 
Por: Ana Clarissa

Foto: Arquivo Pessoal  



1) Qual foi a sua sensação em ganhar o prêmio Expocom no maior congresso de Ciências da  Comunicação – INTERCOM?

A sensação é simplesmente inesquecível, por diversos fatores. Em primeiro lugar, o Prêmio Expocom, por si só, é um nome de peso. Em 2008, quando fui premiada pelo Plaejamento de Comunicação que apresentei, atravessei o País: saí de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, para Natal, no Rio Grande do Norte. Diferentemente da maioria dos participantes, apresentei o trabalho sozinha. Para “ajudar”, estava na reta final da faculdade, terminando a minha monografia. A banca examinadora era composta por professores altamente qualificados, e o medo da concorrência era grande. Por tudo isso, o estresse e a adrenalina eram altos. Então, ganhar esse prêmio é algo que, na minha opinião, não tem preço.

2) O cenário atual das Relações Públicas em Marrocos na sua visão?

Diferentemente do Brasil, as Relações Públicas não são uma profissão regulamentada. Isso não prejudica o reconhecimento do profissional, pois regulamentar uma profissão nem sempre agrega reconhecimento profissional junto à sociedade. Aqui, entretanto, o mercado ainda é pequeno, mas tem grande potencial. O que torna difícil trabalhar as Relações Públicas aqui é o grande dilema local: empregados e gestores não estão acostumados a trabalhar com planejamento e tem sérios problemas em cumprir deadlines. Assim, um Relações Públicas aqui no Marrocos acaba passando por poucas e boas. De qualquer forma, enxergo o mercado com otimiso, apesar de todas as dificuldades.

3) Suas experiências na AIESEC do Rio Grande do Sul – Porto Alegre?



Trabalhei na área de Marketing da AIESEC em Porto Alegre por quase 2 anos. Inicialmente, fui responsável pela Comunicação do Processo Seletivo, fazendo Assessoria de Imprensa, Comunicação Interna e Atendimento ao Público. Na sequência, implementei um Plano de Comunicação voltado para a WEB 2.0 e gerenciei as redes sociais. Por fim, fui responsável pela comemoração dos 40 Anos da organização, atuando como Presidente do Comitê Organizador dos 40 Anos da AIESEC em Porto Alegre, liderando a equipe responsável por entregar este evento.

4) Você indicaria o curso de Relações Públicas para os jovens do ensino médio?



Indicaria, com certeza. Inclusive, quando eu estava no ensino médio, sentia falta do contato com profissionais, justamente para ter mais informações sobre a profissão. Atualmente, acredito que seja mais fácil ter este e qualquer outro tipo de informação sobre qualquer profissão, até por eventos como, por exemplo, “feira das profissões”, que são cada vez mais populares entre os jovens que estão prestes a tentar o vestibular.

5) Você concorda que falta valorização ou reconhecimento nas empresas brasileiras para a profissão de Relações Públicas ou você discorda?



Não acho que falta valorização ou reconhecimento. O que percebo é que há muita desinformação, principalmente em empresas de pequeno e médio porte. Em uma multinacional você não correrá o risco de ser Relações Públicas e, de repente, se deparar com o seu chefe tentando fazer você de Secretária ou Assistente Pessoal. Agora, em empresas pequenas, você corre esse risco. Mas aí cabe ao profissional mostrar qual é o papel de um Relações Públicas dentro de uma empresa. Aí, caso o seu chefe siga batento na mesma tecla, cabe somente a você abandonar o barco e ir atrás de uma empresa que sabe exatamente o que quer. É uma questão de compatibilidade: devido à desinformação, certas empresas simplesmente não estão prontas para terem um Relações Públicas. Muitas empresas querem um vendedor, uma assistente, um atendente de telemarketing. Sem minimizar qualquer uma dessas áreas, mas Relações Públicas não são nada disso. As Relações Públicas vão além.

6) Defina Cassandra Brunetto Relações Públicas Brasil, e Cassandra Brunetto Relações Públicas Marrocos?



Não sei, ainda, quais são as diferenças que gritam entre a Cassandra Relações Públicas Brasil – e a Cassandra Relações Públicas Marrocos. Provavelmente vou assimilar todas as mudanças quando retornar ao Brasil. No momento, passei a entender melhor os meus limites. Outro fator importante é que esta experiência me fez ficar muito mais antenada às diferenças e adaptações a outras realidades. Vir para o Marrocos é muito mais do que cruzar o oceano e mudar de continente: esta viagem significou uma adaptação para trabalhar com pessoas cuja cultura é completamente diferente da minha, e adaptação é fundamental para quem trabalha com Relações Públicas.

7) Por fim, INTERCOM, Vida Digital igual amigos eternos?



Com certeza. A vida digital fez com que eu conhecesse pessoas maravilhosas de vários cantos do País, todas participantes do INTERCOM. Desde 2008 nos encontramos no INTERCOM Nacional, e ficamos hospedados no mesmo albergue. As redes sociais fizeram com que o nosso grupo criasse laços muito fortes, que vão além do tempo e da distância. Dentre as lembranças, cito aqui o amigo secreto de 2009, no Roma Hostel, em Curitiba, onde cerca de 60 pessoas participaram. Ano passado repetimos a dose, no Segundo Lar Hostel, em Caxias do Sul. Dessa vez com um grupo menor, mas ainda mais unido. Aliás, faz parte do nosso grupo ir para o INTERCOM, mas organizar a hospedagem de todos no mesmo local (sempre um albergue da juventude). Sem a vida digital, nada seria igual.


Sucesso, Cassandra Brunetto!
Anúncios

4 comentários sobre “Fala, relações-públicas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s