Experiência que se renova a cada Intercom

Alunos de Relações Públicas da Ufam e Ciesa estarão participando da etapa regional da Intercom 2014, na cidade de Belém, de 1 à 3 de maio. Um evento que reúne diversas áreas da comunicação através de apresentações de trabalhos, GTs, realização de minicursos e palestras de grandes profissionais e pesquisadores das Ciências da Comunicação.

Imagem

Aluna Andréia Santos

Aos alunos que irão apresentar trabalhos nas categorias Intercom Jr e Expocom, o RP Manaus traz esta semana uma série de entrevistas que buscam conhecer um pouco mais sobre os acadêmicos participantes, sua experiência na área e as pesquisas que estão sendo realizadas.

Hoje a aluna Andréia Santos, que está no 5° período de Relações Públicas na Ufam conta um pouco mais sobre a sua experiência em Congressos da Intercom. Andréia ainda atua na área de eventos, trabalhando no cerimonial Celebrare.

Porque escolheu ser RP?

Inicialmente, eu não tinha um motivo definido, mas com o passar do tempo e à medida que fui aprendendo, percebi que gosto de me envolver com pessoas, de lidar com gente. Estudar Relações Públicas me permite adentrar nesse universo das Ciências Humanas e ajudar pessoas a gerenciar conflitos, tomar decisões. Isso ficou muito mais claro quando comecei a trabalhar com eventos. Na empresa em que trabalho somos responsáveis não apenas por um casamento ou uma formatura, mas por sonhos. Pessoas que sonham em ter a festa perfeita e isso é uma grande responsabilidade para nós. Saber que, de alguma forma, estou envolvida nisso me deixa feliz e realizada.

Como podemos nos destacar no universo acadêmico?

Desde que eu entrei na faculdade temos essa história de sempre reclamar por não sermos reconhecidos, mas acredito que já está na hora de parar de nos lamentar e começar a mostrar trabalho. Para nos destacarmos temos que fazer exatamente aquilo que qualquer outro profissional precisa fazer para ser reconhecido: ser bom naquilo que faz. A partir do momento em que nos dedicarmos a dar o melhor naquilo que sabemos fazer, o reconhecimento será instantâneo. Mas é uma coisa que vai de profissional para profissional. Hoje em dia temos uma boa turma que investe nesse reconhecimento e são bons nisso, acredito que estamos caminhando – e vivendo – uma melhor época para ser Relações Públicas.

Você está participando na etapa regional da Intercom Norte 2014, como avalia está experiência?

A minha primeira vez no Intercom foi quando eu era caloura, em 2012. Me lembro de gostar daquela sensação de levar um trabalho que foi feito com tanto esforço e receber um prêmio por isso. O Intercom Norte 2014 é o terceiro em que vou competindo e estou com a mesma sensação. É sempre bom se renovar e ver que os nossos esforços estão sendo recompensados. É uma experiência ímpar que indico a todos que puderem participar, seja em Expocom ou no Intercom Júnior. Vale a pena!

Conte-nos um pouco sobre o seu trabalho(s) a ser publicado neste evento.

Esse ano vou competindo com dois trabalhos, realizados através do Programa de Educação Tutorial em Comunicação Social da UFAM (PETCom Ufam). O primeiro vai na modalidade Organização de Eventos, intitulado Memórias Na Rede: PETCom 25 anos. Foi um evento comemorativo que realizamos ano passado e proporcionou muitas lembranças e emoções para quem estava presente em decorrência de toda a história do PET. Além disso, lançamos o projeto Memória PETCom e debatemos as plataformas digitais para memória virtual. Nesse trabalho estão presentes as alunas de RP Thaisa Lima e Raísa Castro como co-autoras.

Outro trabalho, inscrito na modalidade de vídeo institucional, em que eu sou co-autora, é o PETCom Internacional. Nesse projeto buscamos debater e mostrar a realidade do estudo da Comunicação nos mais diversos países. Entramos em contato com alunos de outros lugares e gravamos vídeos para que os alunos do Brasil possam conhecer um pouco da realidade fora daqui. Esse trabalho está sendo desenvolvido por mim, o estudante de RP, Tiago Calado e com a colaboração da acadêmica de Jornalismo da Ufam, Sharon Menezes.

Um conselho para os alunos que estão iniciando na produção científica.

Comecem o quanto antes! É algo difícil, mas prazeroso, principalmente quando se pesquisa aquilo que gostamos, por isso é importante escolher bem o que será feito, senão vira um trabalho chato. Digo para começar o quanto antes porque é importante ter no currículo artigos publicados, participação em congressos, entre outros. Quanto mais cedo começarem, mais oportunidades terão.

Agradecemos a aluna Andréia Santos por sua disponibilidade e a parabenizamos por sua preocupação desde o primeiro ano de faculdade em participar de projetos e trabalhos científicos, ressaltando a sua importância tanto como experiência para o aluno, como um diferencial para o seu currículo.

 

Por Agda Sales

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s