10 coisas que podemos aprender com Olivia Pope, de Scandal.

ScandallRP

Depois de muitas recomendações feitas por amigas minhas sobre Scandal, da qual a principal era:  “ Carol, você tem que assistir, principalmente porque você faz RP e vai se identificar com esse mundo de gestão de crises”. Mas faz pouco menos de um mês que comecei a assistir e me dei conta da maravilha que eu estava perdendo. Scandal, de acordo com a sinopse do  Wikipédia, se passa em Washington, D.C e é estrelada por Kerry Washington, que interpreta Olivia Pope, uma ex-funcionária da Casa Branca responsável pela criação da Pope & Associates, uma empresa de gestão de crises. Falta 1 temporada para eu me atualizar e, como não sou muito boa em criar conteúdo, fui atrás de posts na internet, de preferência em formatos de lista e encontrei um incrível, sobre as coisas que podemos aprender com Olivia Pope. E como ela é uma gerenciadora de crises de primeira, nada mais justo do que ela ter um espacinho no nosso blog de Relações Públicas, onde esta função é uma das mais desafiadoras de nossa profissão.

10 coisas que podemos aprender com Olivia Pope de Scandal

Por Clair Hannum /  twitter: @claire_hannun

Quando se fala em “Scandal”, eu cheguei tarde para a festa, mas finalmente caí nas graças dessa série cheia de dramas (o que seria uma série da Shonda Rhimes sem drama, não é mesmo?) que todos os meus amigos já acompanhavam desde o início. O que era minha vida, além de vazia, antes de descobrir a heroína feminista que é Olivia Pope? Eu sinto que ela é um modelo, uma super-heroína e uma irmã mais velha tudo ao mesmo tempo. Por isso, decidi fazer uma lista com algumas coisas que todos nós (principalmente profissionais de RP) podemos aprender com a abordagem durona para a vida de Olivia Pope:

  1. Confie na sua intuição: Se existe algo que Olívia é boa, essa coisa é ler pessoas – é nesse ponto onde ela consegue suas mais confiáveis informações. Ouça o que sua intuição está lhe dizendo, mesmo quando os outros estão tentando te distrair e desguiar para outras direções.
  1. Confiança te abrirá espaços: Ela sabe que é habilidosa e não tem medo de dizer isso nem para os maiores e mais assustadores burocratas que tentarão intimida-la. Mostre no que você é bom e não tenha medo disso!
  1. Se você esperar até ser perfeita, você nunca conseguirá fazer nada: Críticas amam apontar o caso de Olivia com o presidente dos EUA como uma quebra de acordo para toda a Série. Eles perguntam porque deveríamos torcer por uma pessoa das quais as escolhas nem sempre são perfeitas. Mas quantos personagens de televisão são perfeitos? Pessoas perfeitas são chatas de assistir, e além disso, Olívia sabe o que quer da vida (profissional pelo menos). Um deslize pessoal não determina sua habilidade de ser incrível em sua carreira, e ela não permite que seus erros definam quem ela é. Se ela desistisse de toda a sua carreira só porque ela é um ser humano com defeitos, ela não seria capaz de ajudar incontáveis clientes dos quais a vida ela muda. Ao invés de não se incomodar de tentar de tudo porque ela nunca será perfeita, ela levanta todas as manhãs, tenta perdoar ela mesmo por seus erros e faz o seu melhor. Nós deveríamos fazer o mesmo.
  1. Viver sozinho é muito legal: baseado em seu ostensivo apartamento, completo com seu próprio telefone fixo (vintage!), ter seu próprio apartamento é um sonho para qualquer um. Viver sozinho permite que você mantenha uma prateleira de temperos e almofadas e classicamente saborear vinhos em frente à TV depois do trabalho sem derramar nenhuma gota em seu suéter liso de cor creme.
  1. Mocinhos nem sempre terminam em último: Temos uma filosofia comum na vida em que os bullies sobem ao topo enquanto pessoas boas são pisadas. Olivia luta a boa luta (bem, na maioria das vezes) e praticamente ainda comanda o mundo. Anote isso!
  1. As roupas de trabalho não precisam se limitar apenas a camisa social e terninho preto: Olivia traz um significado completamente novo a expressão “vestir para impressionar”. Alguém na sua mesma linha de trabalho poderia facilmente usar aquele mesmo monótono look profissional, porém seus looks classudos são pra lá de fashion e sofisticados. Até mesmo os looks mais básicos de Olivia para usar nos finais de semana são do nível “brunch com Jackie Kennedy” de tão chic.
  1. Saber como contar uma história já é metade do trabalho: Por que os departamentos das faculdades de comunicação ainda não ofereceram essa tática fabulosa que é usada com tanta eficiência por Olivia?
  1. Nem todo mundo precisa gostar de você: Você acha que Olivia liga para o que os outros pensam sobre ela? Ela não perde seu tempo tentando mudar seu jeito para agradar pessoas que não a respeitam. Ela faz o que faz de melhor e pessoas de qualidade que confiam nela acham um jeito de fazer parte da vida dela sem que ela precise adular ninguém.
  1. Escolhas ruins possuem consequências ruins: Ao contrário de outros personagens pegadores da cultura pop que se deixam levar sem pensar duas vezes, o caso de Olivia com o presidente a custa muito caro. Ela perde o sono, lágrimas e até mesmo a credibilidade de continuar saindo com seu amante tóxico, mas essa é uma escolha que ela faz. Ela continua fazendo decisões muitas vezes controversas que, entretanto, vem paralelamente com as consequências de seus atos – assim como na vida real.
  1. Você não precisa gritar e se descabelar para que as coisas sejam feitas: Sendo mulher em um ambiente dominado por homens como a Casa Branca, Olivia e sua “colega”, a Primeira-dama Mellie Grant, são forçadas a serem criativas se elas quiserem se aproveitar de algum tipo de poder. Alguns lidam com essa frustração melhor do que outros. Pegue, por exemplo, Cyrus Beene, que está constantemente à beira de um ataque do coração. Olivia pode não ser maior ou mais barulhenta que os homens com quem ela trabalha, porém ela é tão brilhante e capaz quanto. Se ela não gosta dessa dinâmica de poder em seu mundo, ela pode colocar as coisas em uma direção melhor mudando apenas o rumo da conversa, do mesmo jeito que ela faz para seus clientes – E podemos fazer o mesmo quando nós não gostamos do rumo que nossa vida está levando.

Escrito por: Claire Hannum – para o site The Frisky.

Traduzido por: Carolina Xavier Falcão

Texto original aqui .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s