The Handmaid’s Tale: A Previsão do Amanhã

56511DB9E37247B089CDA043A33C6561

Por Rayanne Azevedo, acadêmica de Jornalismo e produtora de conteúdo da RPManaus

Você já viu a série do streaming Hulu, “The Handmaid’s Tale”? Bom, caso não tenha fique atento para o pequeno resumo (sem spoilers) sobre o que o seu polêmico enredo trata e os motivos pelo qual a série foi vencedora em várias premiações este ano.

“The Handmaid’s Tale”, ou “O conto da Aia”, foi escrito pela canadense Margaret Atwood em 1985 e fala sobre uma história de distopia. Sabendo disso aí você pode pensar em coisas como Jogos Vorazes, Divergente ou Maze Runner. Mas as Aias deste conto estão além do tipo que estamos acostumados, trazendo um fundamentalismo bíblico: o Estado torna-se teocrático e totalitário.

Mas por que o Estado ficou assim?

A história conta que, com o passar dos anos, as mulheres da espécie humana acabaram ficando, em sua maioria, estéreis. Nessa realidade, poucas conseguem ter filhos, caminhando pelo lado oposto à citação bíblica “crescei e multiplicai-vos” (Atualmente, a maioria dos assuntos que geram polêmica trazem pelo menos uma citação da bíblia, seja para defender ou problematizar).

A problemática, então, é a possível extinção da raça humana e pessoas que mascaram um sistema inteiro diante da religião cristã, utilizando como desculpa a salvação humana. As poucas mulheres férteis são obrigadas a virarem “aias”, uma espécie de barriga de aluguel de famílias poderosas.


 

Para Saber: Na bíblia, Bila é serva de Raquel. Contudo Raquel não consegue dar um filho a Jacó e se sente menos mulher por isso. Em um ato de amor e querer perpetuar a espécie Raquel oferece sua serva Bila para deitar-se com seu marido. É dessa passagem que as Aias são inseridas na história


Além de sofrerem estupros, as Aias são marcadas como gados, vestem roupas vermelhas e perdem seus verdadeiros nomes, sendo chamadas de Off + o sobrenome da casa que elas irão servir.

A série num futuro não tão distante

2D1CF00D73A94C5CAEEAE0B2CFCBB109

as “Aias”

O mais assustador é que, mesmo escrito há mais de 30 anos o conto caiu como uma luva na série produzida. O enredo é cheio de referências atuais, como ao app Tinder, aos aparelhos eletrônicos modernos e histórias que jovens adultos contemporâneos passam, levando muitos telespectadores a se reconhecerem naquilo que vêem, o que gera empatia pelos personagens, principalmente pela personagem principal, Offred.

A cada flashback que Offred passa, os espectadores sentem mais vergonha, raiva e revolta diante de tudo. Ela tem um passado do qual não consegue se desvencilhar: era uma mulher forte, independente e feliz, mas foi obrigada a largar toda a sua vida para viver em regime fechado, como se precisasse esquecer o passado e aceitar o seu posto de Bila diante àquela sociedade.

O papel da mulher e a (falta de) Comunicação nesse novo mundo

As mulheres dominam a série, isso é um fato. Contudo, dentro da história todas são submissas, sejam Aias ou esposas de homens do alto escalão. As mulheres em The Handmaid’s Tale vivem acuadas, são proibidas de lerem ou até mesmo serem mais poderosas e terem voz acima dos homens, o que indica a estabilidade da opressão.

Marilia Grandi, uma das telespectadoras da série contou sobre o que sentiu enquanto assistia a série. “Infelizmente aquele universo não tá muito distante da nossa realidade. A mulher tanto na série quanto aqui é vista, mesmo que indiretamente, como um objeto a ser demonizado, cobiçado, analisado e modificado de acordo com a vontade de todos, menos dela própria”, disse.

Nós comunicadores sabemos que o mundo gira em torno da troca de informações. Independente de sermos Relações-Públicas, jornalistas ou publicitários, temos a total consciência que, uma vez a comunicação sendo interrompida o ruído está instalado e isso pode tornar-se um caos.

Apesar da resistência, podemos associar a série com a Teoria Hipodérmica, pois após o regime totalitário ser instaurado na série as pessoas tornaram-se passíveis a qualquer lei ou método que os poderosos teocráticos impõem.

The Handmaid’s Tale é muito mais que ficção, é praticamente um alerta para que a sociedade resista a qualquer ameaça. Recebendo várias indicações no Emmy 2017 e vencedora de categorias ilustres como melhor série dramática, melhor atriz dramática e coadjuvante, a série age como um “dedo na ferida” de alguns indivíduos do século XXI.

Para quem ficou com vontade de assistir, dá uma olhada nesse trailer legendado.

Anúncios

Como A Internet Também Pode Ser Coisa De Criança

Por Ane Silva e Rayanne Azevedo, produtoras de conteúdo da RPManaus.

Muito além de uma música da Xuxa ou Balão Mágico, a infância é o momento em que mais somos livres para exercer a nossa criatividade, desde a plantação do feijão no algodão até o momento em que “sem querer” você corta o próprio cabelo escondido dos pais. Quem nunca, não é mesmo?

Com o advento da internet a infância de hoje vem acompanhada do tablet da galinha pintadinha, Minecraft, de crianças que manjam se comunicar com os outros através de um Instagram cheio de poses lindas e até mesmo gravando vídeos para o Youtube.

No post de hoje iremos conhecer algumas crianças manauaras que já estão no mundo da comunicação de forma natural, sem perder aquela magia e leveza da infância. Pega o pirulito que deixa a língua azul e vem conhecer esses pimpolhos antenados.

Instagram e brincadeiras

0FC78632AD71474AA81722485F89A85B

Giovanna Leão

A primeira criança que vamos mostrar é Giovanna Leão, de oito anos. Giovanna possui um Instagram  há pouco mais de um ano, e no seu perfil percebe-se que a menina já possui uma veia artística, fazendo vezes de atriz, modelo mirim, cantora, bailarina e pianista.

Vanessa Leão, a mãe da pequena instablogger, contou quando começou a perceber que a filha levava jeito para as artes. “Ela largava todos os brinquedos para ficar apenas com os que produziam sons, como tambores, pianinhos e guitarra. Com um ano de idade, entregamos uma máquina fotográfica nas mãos dela e ela fez fotos fantásticas na pinacoteca de São Paulo”, relembrou.

A mãe, e também mediadora das redes sociais da menina, fala que a criação de um instablog para a filha foi consequência de todas essas atividades que a Giovanna já fazia. A pequena possui um carisma enorme, posta somente coisas que ela realmente gosta, e mostra ser cheia de atitude e personalidade, claro, sempre sendo monitorada pelos responsáveis.

Quando perguntada sobre os métodos estratégicos de comunicação usados nas redes de Gio, Vanessa conta que cada rede possui uma interação diferente, algo conhecido pelos profissionais que trabalham com mídias digitais.

164065F2BA564B64A6FB1A1455C78A04

Vivi Brasil

A segunda princesa entrevistada pela RP Manaus foi Victória Brasil, de seis aninhos. Você pode encontrar a conta dela no Instagram clicando aqui e depois ficar falando “own” por quantas vezes quiser para essa fofura.

Ela foi eleita mini Miss AM Fashionista SSU 2017, mostrando que ser criança também é it. Seu assessor e amigo da família, Gabriel Gomes, contou que ViVi começou cedo no ramo fashion. “Victória começou quando tinha três anos de idade, ocasião em que foi convidada, por acaso, para desfilar para uma loja. Todos ficaram surpresos quando viram que ela desfilava feito uma profissional”, disse Gomes.

A vida de modelo já levou a Vivi para as passarelas de São Paulo onde competiu na categoria de Mini Miss Brasil Fashionista 2017. Victória mora em São Sebastião do Uatumã, município do interior do Amazonas, mas acaba que sempre está pela capital para cumprir com os compromissos de sua agenda.

Além de modelo mirim, a garota curte sua infância como qualquer outra criança, sem deixar lado sua rotina de modelo, Uma linda não é?

Instakids e a Comunicação

Victória e Giovanna, por serem figuras públicas, acabam ganhando muitos seguidores que ficam curiosos para saber mais sobre a rotina delas. Isso tudo acontece a partir de tags, parcerias ou por um marketing mais planejado, sendo os alcances quase sempre orgânicos.

2C22509E82EE4F20A5F6EEB15AC07CC3

A atual estratégia de Vivi em propagar seu insta é pelo boca-a-boca, como explicou seu assessor. “Se as pessoas gostam do estilo dela, falamos que ela tem um Instagram, daí eles vão lá e a seguem”, comentou Gabriel, que se propôs a nos passar dicas de como bombar no insta. Anotem aí:

 

1- Sempre postar material de qualidade, seja foto ou vídeo;

2- Ter uma periodicidade para esses posts, assim não deixando seu perfil abandonado e em horários de pico;

3- Para ganhar alcance é preciso ter personalidade, crie seu diferencial.

Se vocês achava que ser instablogger era brincadeira, essas pequenas mostraram que por trás de fotos fofas existem crianças que seguem seus sonhos e aprimoram suas habilidades. “Sejam mais autênticas possíveis, sejam vocês mesmas, publiquem aquilo que vocês gostam e que sentem felizes!”, disseram Vic e Gio (Porque já estamos íntimas) à equipe da RP Manaus.

 

Nunca perca seu espírito de criança, tudo que nos resta em dias difíceis é sonhar e ter esperança. Feliz Dia ❤

Já pensou em transformar o turismo de Manaus?

Por Anne Silva, acadêmica de Relações Públicas e produtora de conteúdo da RPManaus.

Sabemos que aqui na nossa terrinha existem coisas únicas, afinal, nossa vasta floresta, o “pulmão” do mundo, oferece experiências inesquecíveis com a natureza. Aqui temos muitas coisas aqui maravilhosas que são impossíveis de não serem percebidas. A comida então… Manauara que é manauara gosta de um tambaqui de banda, tapioca com queijo e aquele famoso x- caboquinho.

21616230_1979475679004259_9130093641892046476_n

Pensando em apresentar nossas belezas e algumas atividades pouco contempladas na cidade, o Impact Pub, em parceria com o Local Hostel Manaus e Iguana Turismo, está desenvolvendo o LabTur, um programa com intuito de despertar as ideias e a capacidade empreendedora dos estudantes de várias áreas e de entusiastas do turismo local, contando com a designer de experiência Camila Lima (ela integrou a equipe de Experiência do Espectador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016).

Essa é sua oportunidade de adquirir conhecimento e expor sua criatividade em projetos de estímulo a outros setores atrativos de Manaus, como Cultura, História, Gastronomia, Infraestrutura e Meio Ambiente.

O programa realizará uma chamada pública para um processo de prototipação e modelagem de ideias para projetos iniciantes e já existentes, na qual serão trabalhados conceitos metodológicos de design thinking, lean startup, entre outros. Tudo isso terá o acompanhamento de profissionais renomados e dois encontros durante dois dias, de forma gratuita, basta ter uma boa ideia empreendedora.  Imperdível, né mores?

Então corre pra fazer a inscrição. Clique aqui para mais infos

 

Cronograma

Início das inscrições: 01 de Setembro a 01 de Outubro de 2017

Seleção 1: 02 de Outubro de 2017

Divulgação das 20 equipes: 02 de outubro de 2017

Visitas: 09 a 21 de Outubro de 2017

 Webinars: 09 a 21 de Outubro de 2017

 Encontro 1: 21 e 22 de Outubro de 2017

Encontro 2: 21 e 22 de Outubro de 2017

            Pré- Aceleração: Novembro de 2017 a Fevereiro de 2018

VMA 2017: retrospectiva

Por Marcelo Mendes, acadêmico de Relações Púbicas e produtor de conteúdo da RPManaus.

Na noite de domingo (27) aconteceu a 34ª edição de uma das mais importantes premiações de música pop do mundo. A premiação teve seus pontos altos e baixos, mas no fim das contas terminou premiando os melhores em cada categoria e reunindo os artistas em voga da atualidade. Confira alguns momentos da premiação, que este ano, teve como apresentadora a cantora Katy Perry:

Apresentações Musicais

A abertura ficou por conta de Kendrick Lamar. O rapper apresentou “DNA.” e “HUMBLE.”, duas músicas do seu mais recente álbum de estúdio DAMN. Lamar fez uma apresentação com direito a dançarinos vestidos de ninjas e trouxe uma parede de fogo ao palco no fim da apresentação. Em seguida foi a vez do Ed Sheeran, que performou o hit chiclete “Shape of You” e em seguida o rapper Lil Uzi subiu ao palco e juntos os dois apresentaram um medley da canção “XO TOUR Llif3”.

source

A cantora Lorde subiu ao palco ao som de um remix da música “Homemade Dynamite” que consta no seu mais recente trabalho de estúdio, Melodrama. A neozelandesa “fez a Britney” e não cantou em nenhum momento. Com a ajuda de dançarinos, ela caminhou por toda a extensão do palco enquanto fazia uma performance apenas com gestos corporais. É o conceito, né?

giphy

O girlgroup Fifth Harmony chegou com a segunda maior shade da noite: levaram ao palco a ex-integrante do grupo Camila Cabello, e simularam a saída dela durante a performance de “Angel”. Em seguida caíram juntas da plataforma começaram a apresentação do primeiro single “Down”. O rapper Gucci Mane entrou no palco e a apresentação das meninas terminou com uma grande chuveirão coletivo.

Miley Cyrus apresentou “Younger Now”, seu mais recente single e também nome do próximo álbum de estúdio. A apresentação contou com uma “gangue” de idosos como figurantes e dançarinos, incluindo uma drag queen de 84 anos. Já Demi Lovato fez uma performance de “Sorry Not Sorry” direto de uma pool party típica dos resorts de Las Vegas. A apresentação da artista foi transmitida ao vivo dentro da própria programação do VMA.

A grande homenageada da noite, a cantora P!nk, fez uma apresentação dos seus grandes sucessos no palco do VMA 2017. Durante a performance, P!nk cantou hits como: “Get The Party Started”, “Raise Your Glass”, “So What”, “Just Give me a Reason”, “Don’t Let Me Get Me”, e “Fuckin Perfect”. Para encerrar a apresentação, ela cantou o seu mais novo single, “What About Us”.

Após o show, a apresentadora americana Ellen DeGeneres subiu ao palco para entregar o troféu Michael Jackson Video Vanguard Award para a cantora. Pink fez, ainda, um discurso emocionante e empoderado para homenagear a sua filha, de apenas seis anos.

giphy2

Encerrando a noite, a apresentadora da edição deste ano do VMA, a cantora Katy Perry também fez uma performance, ao lado da rapper Nicki Minaj, cantou “Swich Swich” seu novo single.

Vencedores

O vencedor da primeira categoria da noite, foi o girgroup Fifth Harmony, que levou pra casa o prêmio de melhor clipe pop. Em seguida Alessia Cara e Zedd levaram melhor clipe de eletrônica. O prêmio de melhor colaboração foi para “I Don’t Wanna Live Forever” da Taylor Swift em parceria com o cantor Zayn e quem subiu ao palco para receber o prêmio foi o produtor musical Jack Antonoff.

O rapper Kendrick Lamar foi o grande vencedor da noite, arrebatando seis astronautas por Clipe do ano, Melhor clipe de hip hop, Melhor fotografia, Melhor direção, Melhor direção de arte e Melhor efeito visual. O prêmio de artista do ano foi para o cantor Ed Sheeran e o de artista revelação foi para o rapper iniciante Khalhid.

giphy

Noite marcante

Além do prêmio, a cantora Taylor Swift teve um espaço na premiação para lançar com exclusividade o clipe do seu mais novo single, que antecipa o lançamento do próximo álbum de estúdio da cantora intitulado “Reputation”. E que reputação, não é mesmo? Em menos de cinco minutos a cantora transformou a internet em um caos por conta de todas as referências que os fãs e internautas encontravam enquanto assistiram ao clipe de “Look What You Made Me Do”. É o marketing, viu queridas, essa mulher sabe como ninguém administrar uma carreira.

Também tivemos artistas abraçando a campanha de apoio a vida. Após uma belíssima introdução da cantora Kesha falando sobre suicídio, os artistas Logic, Alessia Cara & Khalid subiram ao palco para cantar “1-800-273-8255”, faixa que fala desse mesmo assunto.

Curtiram a edição do VMA desse ano? Deixem comentários sobre suas impressões da premiação e sobre a cobertura do RPManaus nas redes sociais.