AIESEC em Manaus abre vagas para intercâmbio voluntário no exterior

A AIESEC em Manaus realizará neste sábado, dia 12 de maio, o processo seletivo para intercâmbios de trabalho voluntário no exterior. O evento acontecerá no auditório da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), localizada na Av. Governador Danilo Areosa, 381, Distrito industrial. Ao longo do dia, ocorrerão duas seleções, a primeira de 9h às 11h, e a segunda de 14h às 16h. Contará ainda com palestras explicativas sobre os programas de intercâmbio oferecidos pela organização, sua missão, visão e valores. 
Para participar do processo seletivo basta levar originais e cópias dos documentos de identidade, CPF, comprovante de residência, comprovante de matrícula em instituição de ensino superior ou diploma de curso superior e currículo. Todas as palestras são gratuitas e os interessados em participar do processo seletivo devem pagar uma de R$ 20. O intercâmbio é para estudantes, universitários e recém-formados com até 3 anos desde a graduação. É preciso ter entre 18 e 30 anos e inglês intermediário.
Os programas de intercâmbio oferecidos pela AIESEC são para trabalho voluntário (com focos em Gestão, Direitos Humanos, Saúde, Cultura e Meio Ambiente). Os principais destinos são América Latina, Ásia, África e Leste Europeu e os intercâmbios têm duração entre um mês e meio a três meses.
Presente em Manaus desde 2008, a AIESEC existe há 64 anos e está presente em mais de 100 países. A organização promove intercâmbios internacionais e trabalho voluntário como formas de despertar liderança e espírito empreendedor em jovens universitários ao redor do mundo. Todos os anos são realizados cerca de 15 mil intercâmbios, 500 conferências locais e internacionais, além de 17 mil experiências de liderança nos escritórios das cidades em que a AIESEC está presente.

Legenda: Samir Borges Bressane, 22, realizou em abril um intercâmbio na República Tcheca, onde realizou um projeto de educação multicultural em escolas públicas.

Processo Seletivo AIESEC MANAUS 2012

A AIESEC em Manaus abre inscrições para jovens universitários e recém-graduados que desejam adquirir experiência em liderança, trabalho em equipe e novas culturas. As inscrições vão até o dia 01 de março e o processo seletivo inicia com dinâmicas de grupos e entrevistas realizadas nos dias 02 e 03 do mesmo mês.

Para se inscrever, basta acessar o site http://migre.me/85ehe e seguir as instruções. Também é possível efetuar a inscrição no escritório da AIESEC em Manaus entre as 14h e 20h. O escritório está localizado na sala 01 do bloco E da Fucapi, Avenida Governador Danilo de Matos Areosa, 381, Distrito Industrial. Os interessados devem ter entre 18 e 30 anos de idade, cursar a universidade ou estar formado a, no máximo, três anos.

A AIESEC está presente em 110 países e é reconhecida pela Organização das Nações Unidas para educação, ciência e cultura (Unesco) como a maior organização jovem do mundo. De acordo com a responsável pelo processo seletivo, Gabriela Moraes, “A experiência adquirida na AIESEC é mais que profissional. É uma experiência de desenvolvimento humano, algo que é cada vez mais exigido no competitivo mercado de trabalho”.

Estudantes que estejam cursando ensino  superior ou formados há no máximo três anos que desejam uma experiência de liderança, trabalho em equipe e vivência de outras culturas, podem participar do primeiro processo seletivo de 2012 da AIESEC. .  A organização internacional, reconhecida como a maior organização de jovens pela Organização das Nações Unidas para educação, ciência e cultura (Unesco), realiza em Manaus no dias 2 e 3 de março no auditório da FUCAPI localizado na Avenida Gov. Danilo de Matos Areosa, 381 – Distrito Industrial .o processo seletivo para  novos membros.

Os interessados precisam ter entre 18 e 30 anos. As inscrições podem ser realizadas pelo site http://www.aiesec.org.br/site/escritorio/manaus/processo-seletivo2012/ ou no escritório da organização na Fucapi entre as 14:00 e 20:00 horas.

De acordo com Gabriela Moraes responsável pelo processo seletivo, a experiência adquirida na AIESEC vai além do profissional, é uma experiência de desenvolvimento humano, uma experiência que é cada vez mais exigida no competitivo mercado de trabalho.


Por: Larissa Holanda- Coordenadora de Relações Externas e Comunicação do Processo Seletivo AIESEC 2012.
 Artur Ribas é estudante de Medicina e está fazendo intercâmbio no Quênia, onde ele trabalha com reabilitação física, mental e social de pessoas com HIV.

Fala, Estudante!

Erlan Bindá

Estudante de Relações Públicas e Publicidade, Membro de Comunicação e Marketing da AIESEC-Manaus, apaixonado por comunicação.
Foto: Pessoal 
Por: Ana Clarissa

1. Conte-nos sua experiência no programa de extensão e programa universitário, SET UFAM. 

Foi uma ÓTIMA experiência. Foi a minha primeira experiência profissional e foi muito proveitosa.

Entrei para o time formado até então somente por universitários de jornalismo da UFAM. Entrei com um propósito para exercer o cargo de Relações Públicas mesmo, mas ainda estava nos primeiros períodos da minha formação, e confesso que não soube realizar muito bem minhas atividades.

Enquanto isso, também fui alocado como produtor para algumas coberturas importantes. Foi nessa atividade que eu me saí melhor. O contato com essa atividade de jornalismo foi muito legal e me fez perceber do perfil que o mercado pede para universitários de comunicação, um profissional que conheça um pouco de todas as vertentes da comunicação social.

O SET UFAM me fez viver experiências muito legais. Como a cobertura do Amazonas Film Festival do ano passado (2010). Foi incrível estar pelos bastidores de um dos maiores eventos da nossa cidade, está perto de alguns famosos, além da correria que o trabalho proporcionou nos dias do evento. Eram várias equipes realizando diversos quadros para um programa especial dedicado ao evento. Foi legal ver todos realizando esse trabalho em equipe para a entrega de um programa de qualidade.

Tiro que os dois maiores aprendizados da experiência foi perceber o quanto era necessário me aprofundar nos conhecimentos de RP e onde buscar – foi então que comecei a ler mais livros sobre o assunto – e também sobre improvisação, trabalhei como produtor em coberturas de eventos, então não há personagens certos, é necessário ter feeling para fazer com que o quadro tenha conteúdo interessante e ligado ao tema do programa – cinema.

2. A importância do “treinamento” na AIESEC em comunicação e Marketing?

Bom, acredito ser importante primeiro explicar para os leitores o que é a AIESEC (já que não é tão conhecida assim em Manaus). AIESEC é uma organização mundial para jovens que através do trabalho voluntário na organização, a experiência de liderar um time e através de um intercambio voluntário e profissional desenvolve jovens universitários a se tornarem líderes de impacto positivo na sociedade.

Não sei se treinamento é bem a palavra certa. A AIESEC é uma organização para jovens universitários ou recém-graduados de 18 a 30 anos e que para muitos dos membros serve como uma primeira experiência profissional. Apesar de existir a possibilidade de erros dentro da organização, ainda é uma organização que é gerida totalmente por jovens e somos responsáveis pelas consequências de nossas escolhas.

Não há nenhum profissional que nos direcione, são apenas universitários botando em prática e testando tudo que aprendem na vida acadêmica. Um erro da assessoria pode gerar uma grande crise para a organização, mas vemos nos erros o aprendizado.

Atualmente o time de Comunicação e Marketing possui 2 subdivisões: Promoção e Relações. Eu sou o coordenador do time de Relações, time responsável por gerir relacionamentos com os diversos públicos da organização, além de criar e gerir estratégias para um posicionamento de credibilidade com os mesmos. Possuo um time de 6 membros, e tem sido uma ótima experiência. Tenho aprendido e colocado em prática muitos aprendizados do curso de Relações Públicas.  Tem estimulado muito o meu desenvolvimento profissional e inovação, visto que é necessário criar táticas sem grandes recursos financeiros a disposição (visto que é uma organização sem fins lucrativos).

A experiência me permite aprender muito sobre liderança e como engajar jovens como eu a entregarem um resultado em equipe. Além disso é possível usufruir da rede de contatos da organização, só no Brasil são 33 escritórios (além dos diversos trainees dos mais diversos países do mundo) onde podemos compartilhar experiências, acertos e erros e assim crescer em conjunto. O aprendizado dentro da organização me parece ser infinito.
3. Relações Públicas dicas para os calouros e seus planos para o futuro. Publicidade e Propaganda paixão ou razão?

Para os calouros de Relações Públicas: comunicação é paixão. Se apaixonem pela profissão, busquem e pesquisem cada vez mais e não se limitem ao que é explicado somente em sala de aula. Nada de se acomodar, comunicador tem que aprender muito de tudo.

Eu não sei se devo citar como regra, mas conheço vários amigos e colegas (das mais diversas ramificações da Comunicação Social) que passaram por uma desilusão (eu estou incluso nessa), talvez chegue o momento em que você desacreditará em tudo, mas não desistam. 


Procurem estágios, projetos de extensão e pesquisa, procurem uma forma de aplicar o que aprendem. A sensação de botar em prática o que aprendem é ótima! Aqueles que realmente gostavam no curso e o mais talentosos sobreviveram à desilusão.

Publicidade e Propaganda é paixão, também. Na verdade é a primeira paixão. Só conheci Relações Públicas porquê fui atrás dos cursos de comunicação social na UFAM e só encontrei Relações Públicas e Jornalismo. Gosto muito das duas habilitações, por isso faço ambas.
4. Por fim, vantagens e desvantagens de ser acadêmico de comunicação social e qual é a diferença entre uma universidade pública e particular?

Pergunta difícil de responder. Eu vou dizer o que eu gosto e o que eu não gosto nos meus cursos, não tenho certeza se podem ser citados como vantagens e desvantagens. Eu gosto da diversidade cultural presente entre os alunos, não há um ‘’perfil’’ de alunos, são pessoas com os mais diferentes gostos e estilos. É incrível como a comunicação está em tudo, dificilmente você conseguirá ficar entediado com o assunto e sempre pode relacionar a tudo aquilo que eu gosto (meus trabalhos costumam envolver mídias sociais, videogames e a AIESEC). O que eu não gosto? É comum acreditar que não aprendo muito, acredito que as aulas poderiam ser mais produtivas e que repetimos muito os assuntos (principalmente na faculdade de Relações Públicas onde a grade curricular é de 1980 e pouco). Falta um melhor direcionamento e organização por parte dos professores.

A diferença básica e monstruosa entre universidades pública e particular é a infraestrutura. A UFAM tem sérios problemas, muitas lousas quebradas, condicionadores de ar que funcionam só em dias frios (nunca) e vários insetos que invadem as salas de aula. Na particular é tudo certo, limpo e tecnológico. Simples assim.


SUCESSO, Erlan Bindá!