Personalidades da Comunicação Manauara se reúnem em mesa redonda sobre a mulher no mercado de trabalho

Acolhimento, reciprocidade, compreensão e compartilhamento. Esses sentimentos foram alguns dos mais aguçados em mulheres e homens que participaram da 2ª Edição da “Comunicação em Chamas”, o especial “Feito por Elas”, ocorrido no último sábado, dia 25. O evento foi realizado no espaço de coworking Impact Hub, cuja ambientação foi peça chave para o conforto das convidadas em falar de assuntos como preconceitos, discriminação e machismo.

ouvintes

Com três mesas redondas, o evento reuniu algumas das maiores representantes da Comunicação amazonense. Novos talentos e profissionais reconhecidas, das áreas de Relações-Públicas, Publicidade e Propaganda, Marketing, Jornalismo e Direito, conversaram sobre suas maiores inspirações, desafios e barreiras, muitas delas causadas por superiores do sexo masculino.

Abrindo o evento, a mesa “Fabricando Comunicadores”, mediada pela idealizadora do RPManaus, Ana Clarissa, foi espaço para histórias de mulheres que se sobressaem em suas carreiras e não aceitam limites impostos por homens e até mesmo mulheres.

mesa 1

Wilsa Freire iniciou o diálogo com a seguinte pergunta “Vocês se colocam algum limite?”. A mesma acrescentou que “existem homens no âmbito profissional que julgam as mulheres incapazes de exercer determinada função, bem como mulheres que não aceitam trabalhos, pois não se sentem valorizam e se ditam inadequadas (por conta do sexo) para função”.

Nereida Tavares, também da primeira mesa, afirmou que, mesmo com a quantidade majoritária de homens em empresas de publicidade, ela nunca se impôs limitações, pois sempre trabalhou o quanto ela estaria preparada ou não para determinada função. Ela contou que o respeito sempre foi prioridade, muito por conta de sua criação. “Minha família tem quatro mulheres. Meu pai sempre exigiu respeito e sempre tivemos empoderamento dentro de casa”, disse.

Amanda Bezerra, redatora na agência Haus 65, contou que sempre que algum desrespeito ou inferioridade acontecia, seu principal reflexo era se posicionar e indagar a igualdade de gêneros. “Quem é publicitário sabe que é comum a mulher com carinha bonitinha ser do atendimento”, contou, afirmando que sempre lutou para ganhar espaço como redatora.

Repórter da TV Acrítica, Thea Morel não esconde que já foi intimidada por ser mulher em alguns ambientes. No entanto, ele conta que na empresa onde trabalha há divisões de trabalho igualitárias para homens e mulheres, independente das situações onde irão gravar uma reportagem.

Já na segunda mesa, as temáticas relacionadas com preconceito foram colocadas em xeque. Participaram da mesa, mediada pela publicitária e coordenadora de comunicação e inovação do RPManaus, Nathalya Brandão, a profissional de Marketing e empreendedora, Andreza Mattos, a profissional de Relações-Públicas  do Grupo Simões, Christelli Raisa, e a Advogada Rhaiza Oliveira.

mesa 2

Andreza trouxe à mesa situações um tanto desconfortáveis, sofridas por conta de seu estilo, mas que sempre foram rebatidas por ela e transformado em lição. A advogada, Rhaiza contou sobre suas experiências sobre casos onde sofreu preconceitos por conta de seus cabelos e por sua raça. “Falar sobre essas problemáticas fortalece a resolução destas”.

A produtora de eventos Inês Daou, a assessora política e idealizadora do blog “Mapingua Nerd”, Fernanda Brandão e editora do G1Am, Camila Henriques, encerraram o evento, na mesa “O lado oculto do entretenimento”, mediada pela acadêmica de Jornalismo e integrante do RP Manaus, Bianca Diniz. Elas conversaram sobre temas atuais e segmentos da comunicação e de produção de conteúdo que são ocupados quase que exclusivamente por homens.

Camila, que é crítica de cinema do site Cine Set, e integrante do Elviras: Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema relatou o quanto é raro difícil uma mulher ser reconhecida e destacada na como crítica mundo a fora. “Recentemente minha colega do Cine Set, a jornalista Susy Freitas, foi contemplada com a participação na Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). Ela é a primeira representante do Amazonas e a terceira do Norte. Essa é uma conquista que todos nós devemos nos orgulhar”, enfatizou.

mesa 3

Fernanda Brandão, do Mapingua Nerd, compartilhou muito de sua experiência na área do Jornalismo, principalmente como assessora política. Ela conta que com a vivência que teve com o blog já passou por alguns preconceitos por parte do público masculino. “O público nerd é bem machista, isso é algo que nem todo mundo sabe. Já engoli muito sapo por estar em ambientes cercados por homens. Gostaria de ter me posicionado de alguma maneira naquela época, pois só assim podemos mudar essa realidade”.

Ao fim do evento foram distribuídos livros doados pela participante da primeira mesa Wilsa Freire. O RP Manaus agradece a presença das convidadas e dos ouvintes, e agradece o apoio do Impact Hub e principalmente aos sócios Juliana Teles e Marcus Bessa pela parceria.

todos

Por: Vanessa Rocha, acadêmica de Jornalismo e Assessora de Comunicação do RPManaus.

Anúncios

Grandes ideias regionais: 7 motivos para conhecer o Local Hostel Manaus

O post de hoje é totalmente dedicado ao Local Hostel Manaus, localizado na Rua Marçal (sede 1) e na Rua Libânia (sede 2), ambas no Centro da Cidade de Manaus. Não podíamos deixar de compartilhar o nosso mais novo parceiro e tudo que ele tem a oferecer. Então, sem mais delongas, vamos ao que interessa:

É um local aconchegante

O Local Hostel oferece qualidade e conforto não só para os turistas, mas também para quem reside em Manaus. Conta com um ambiente ecológico e sustentável, além de ser bem localizado e próximo a pontos turísticos como o Teatro Amazonas e do Largo São Sebastião, onde também encontramos diversos museus, bares e restaurantes.

foto1

É impossível não se encantar com a decoração

Conta com móveis reaproveitados e de materiais reciclados. As camas e lockers são todos elaborados a partir de madeiras com selo verde. Essa é uma das principais missões do hostel que leva a bandeira da sustentabilidade e, para isso, conta com alguns parceiros que ajudam desde sua decoração à coleta de lixo, além de promover palestras sobre o assunto, como ensinar reciclagem, fazer adubo orgânico e montar horta vertical.

Está sempre fazendo parcerias

A realização de eventos culturais no local incentiva a troca de conhecimento, tanto que o RPManaus é um dos seus mais novos parceiros. E ainda tem a colaboração do Veraneio foodtruck, com deliciosos hambúrgueres e receitas próprias por um preço super bacana, inclusive com sabores vegetarianos.

As acomodações são as mais variadas

Desde dormitórios, que acomodam até dez pessoas, a suítes diferenciadas. Inclusive, vários famosos já se hospedaram no Hostel, já pensou você se hospedar e encontrar alguém que você é fã?

Tudo é muito inspirador

Umas das suítes se chama Hamza e ela tem esse nome porque foi inspirada no gigante aquífero (quando o volume de água é abaixo da terra, ou seja, é subterrâneo) que leva o mesmo nome, que se fosse um rio seria maior que o Rio Amazonas. Antes, no lugar que fica essa suíte, era um porão.

foto11

O que tudo isso tem a ver com Comunicação?

Uma das muitas curiosidades é que donos ficaram durante um ano se hospedando em diversos hostels da região Norte para saber no que eles poderiam fazer de diferente. Isso nada mais é que pensar estrategicamente e sair caixa, a comunicação fica muito mais clara quando sabemos quem são os nossos concorrentes e o que eles oferecem. Tudo fica mais prático quando criamos experiências e contatos.

E, não menos importante…

Eles têm seus próprios produtos, olha que graça essas camisetas. Nós já temos as nossas. Também tem um bar e wi-fi, quem não gosta, né?

foto15

Então, a partir de tudo isso, já pensou em reunir seus amigos e passar uma noite lá só criando boas histórias? Ou, se você é de outro estado, não seria maravilhoso estar em contato com outras culturas num só espaço? Você pode marcar uma visita pra conhecer as duas sedes ou acessar as redes sociais Facebook e Instagram https://www.facebook.com/localhostelmanaus/

Pra reservas e informações, ligue +55 92 32139159 (sede 1) e 92 32136079 (sede 2), ou envie um e-mail para contato@localhostel.com.br

Você vai contar com um lugar bem hospitaleiro, com qualidade e foco sustentável. É disso que Manaus precisa pra evoluir em questões turísticas e econômicas: negócios inovadores! Nós da RP Manaus agradecemos pela parceria e que estejamos juntos em muitas outras realizações.

Autores: Talitha Teixeira, acadêmica de jornalismo; e Sabrina Silva, publicitária.

Fotos: Nathalya Brandão e Klauson Dutra

Entrevista com o Relações Públicas Ricardo Campos

RICARDO CAMPOS
É especialista em Gestão de Negócios e Bacharel em Relações Públicas pelo Centro Universitário de Belo Horizonte-Uni-BH.
Atualmente é Líder de Relações Corporativas de uma instituição de ensino superior particular responsável pela articulação e relacionamento com organizações externas, parceiras e conveniadas, patrocínios e locações.
É conselheiro efetivo do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas – Conrerp 3ª Região – Minas Gerais – Bahia e Espírito Santo, membro da comissão de Tomada de Contas e Patrimônio e comissão de Comunicação Integrada, liderando a área de comunicação digital (reestruturação do portal, Twitter, Flickr).
Foto: Arquivo Pessoal 
Por: Ana Clarissa

1.Qual é a importância da Profissão de Relações Públicas no mercado de trabalho atualmente?


Acredito que a Profissão de Relações Públicas sempre teve sua importância no mercado de trabalho, pela sua atuação estratégica na comunicação das organizações e nas relações com seus públicos. Mas hoje, no que chamamos de a era do consumidor, onde clientes, fornecedores, parceiros e todos os públicos que se relacionam com uma organização passam a ter voz por meio de canais de comunicação descentralizados e que conseguem com um post impactar os resultados de uma organização, acredito que a profissão potencializa a sua relevância para empresas que pretendem melhorar a comunicação com seus públicos, que necessitam de um trabalho de branding e de prevenção contra crises de imagem. Além disso a profissão tem uma função social que é muito valorizada pelas empresas em projetos de responsabilidade social e sustentabilidade.Vejo que a cada dia aumenta a demanda por bons profissionais que tenham uma visão holística sobre o ambiente corporativo. Na instituição de ensino onde sou Líder de Relações Corporativas, área que integra o setor de 

Comunicação e Marketing da casa, somos ao todo 8 profissionais de Relações Públicas, a maioria em cargos de liderança, sem contar outros profissionais que estão na linha de frente atuando em Endomarketing junto ao Recursos Humanos e outras áreas de atendimento. Este é um exemplo real de que a área está aquecida e de que o mercado necessita de nossos préstimos.

Outro exemplo é o Grupo de Estudos da Comunicação – ECOM, do qual faço parte e que reúne profissionais de grandes empresas como V&M do Brasil, Vale, Coca-Cola, Cemig, Copasa, Cruzeiro Esporte Clube, Fiat, Masb, Unimed-BH, Iveco, ALE, Usiminas, dentre outras. Este grupo se reúne uma vez por mês para discutir as melhores práticas na comunicação corporativa e a presença de relações públicas nas equipes das empresas é intensa.

Portanto o cenário é muito positivo para a profissão e para os profissionais que sabem colocar em prática todo o conhecimento proporcionado pela nossa formação.      

2.Conte-nos um pouco sobre a criação da Fundação  D’Minas Receptivo, Viagens e Turismo Ltda.

A D’Minas Turismo é uma agência de turismo receptivo que tem como cerne de seu trabalho receber turistas nacionais e internacionais para viver momentos inesquecíveis pelas cidades e atrativos turísticos de Minas Gerais.

Nosso escopo é 90% B2B e os outros 10% atendendo consumidores finais. Em apenas dois anos conquistamos parcela significativa do market share com a captação de contas das principais operadoras que atendem o mercado internacional, sendo que hoje atendemos turistas de países latino-americanos, franceses, italianos, espanhóis, alemães, americanos e até russos.

No último ano o aumento de nosso faturamento girou em torno de 60%, um número relevante para uma empresa de apenas 2 anos de vida.

A D’Minas Turismo surgiu da expertise de minha esposa com mais de 15 anos de atuação no mercado de turismo com minha experiência na área de comunicação e gestão. Querendo oferecer um produto diferenciado para o mercado e revolucionando o relacionamento com o trade mineiro aceitamos o desafio de criar a agência. Com muito planejamento e estratégia, além de um projeto de comunicação e marketing diferenciado para o mercado mineiro estamos conquistando nosso espaço e revolucionando toda a cadeia, inclusive a concorrência que sentiu a nossa chegada ao mercado.

Temos uma atuação muito interessante nas mídias sociais, voltada basicamente para divulgação do destino que consideramos ser mais importante que a divulgação da agência. Esta experiência tem nos proporcionado um relacionamento muito positivo com clientes e outros públicos que se interessam por nossas postagens.

Para conhecerem um pouco mais da D’Minas Turismo indico http://www.meadiciona.com/dminasturismo  

3. As novas tecnologias podemos chamá-los também de sociedade digital, ou seja, vivemos numa era de mudanças e impactos tecnológicos, que traz novos conceitos e aprendizados. Na sua opinião existe parte negativa na área da Comunicação Social, com os novos paradigmas do pós modernismo?

Não acredito que as novas tecnologias e a chamada sociedade digital tenham partes negativas para a área de comunicação, mas sim novos desafios o que torna o trabalho do comunicador fascinante.

As novas tecnologias causaram no início um certo desconforto, fazendo que os profissionais fossem instigados a sair do lugar comum e a propor novas soluções no relacionamento com seus públicos, trazendo para a pauta das áreas de comunicação e marketing um componente essencial para o sucesso e perenidade de qualquer organização: a inovação.

As novas tecnologias trouxeram também para o ambiente da comunicação um senso de urgência, pois o consumidor é voraz com as inovações e o que era bom ontem já se torna démodé hoje. Portanto o timing das ações comunicacionais é componente importante para o sucesso de uma campanha por exemplo.

Para as Relações Públicas os desafios são ainda maiores, já que as novas tecnologias propõem um relacionamento em tempo real, com ator social que é extremamente exigente, crítico e que não gosta de esperar muito tempo por uma resposta. Que quer muito mais do que a propaganda, quer se relacionar, se envolver com as marcas.

É um cenário complexo, mas muito interessante para profissionais movidos por desafios.

4.Suas contribuições como conselheiro efetivo do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas – Conrerp 3ª Região– Minas Gerais – Bahia e Espírito Santo?

Antes das contribuições é importante também falar a respeito de minha entrada para o Conselho, afinal fazer parte desta equipe é uma grande responsabilidade.

Sempre fui um curioso a respeito de temas relacionados a comunicação e sempre participei da maioria dos eventos que ocorriam em Minas Gerais. Nestes eventos acabava me encontrando com o Valdeci, presidente do Conselho, que observando meu envolvimento me convidou para fazer parte da nova gestão 2010/2012 o qual aceitei com muito orgulho.

Fazer parte da gestão do Conselho é realmente um grande desafio e um verdadeiro ato de amor pela profissão, afinal é uma atuação voluntária, de abdicação de parte do seu tempo em prol de uma causa. Se tratando do Conselho de Profissionais de Relações Públicas estes desafios são ainda maiores, pois temos um número irrisório de profissionais registrados em comparação com o número de formados. Como todos sabem o conselho sobrevive e age basicamente com as arrecadações das anuidades e o não registro nos impede de realizar os diversos projetos que fazem parte de nosso planejamento.

Sobre as contribuições, o trabalho no Conselho tem um lado burocrático que é a análise dos processos (pedidos de registro, de baixa, a análise das denúncias e das ações de fiscalização) e outro de relacionamento com os registrados e com a sociedade. Já na nossa chegada foi feito um planejamento e além das análises dos processos fiquei responsável pela readequação do projeto de um novo site que já estava rodando e pela implantação do twitter. O twitter do Conselho já está ativo pelo perfil @Conrerp_3 e o novo site está na fase final de sua implantação. 

O projeto, devido a falta de recursos, não será o que aspirávamos, mas é uma ferramenta mais moderna e mais usual para o relacionamento com nossos registrados. Faz parte de nossos projetos a análise e implantação de outros canais de comunicação e relacionamento, como o Facebook do conselho. Além disso temos participado de ações e visitas em faculdades ou recebendo grupos de alunos na sede do Conselho.

Ao longo desta trajetória no Conselho o senso de contribuição para nossa categoria é muito intensa, mesmo frente a todos os desafios e críticas que surgem a cada momento. Acredito que todo o profissional deveria passar por esta experiência.  

5. Qual é o papel das Relações Públicas em relação a sociedade?

As Relações Públicas, como já citado, tem uma relevante função social que se reflete no diálogo das organizações com seus públicos e em ações que promovam a articulação, educação e envolvimento em torno de projetos sociais e de sustentabilidade.

A atuação da profissão nas organizações públicas e privadas são propicias para interlocução com a sociedade e para os processos de democratização e cidadania.

Hoje a sociedade espera que as organizações tenham uma atuação que esteja além de seus produtos e serviços, uma atuação mais responsável. Assim a profissão pode atuar por meio de parcerias intersetoriais, de campanhas de conscientização e de iniciativas cidadãs que promovam a paz, a justiça social e o respeito ao meio ambiente.

6. Por fim, algumas dicas para os novos profissionais de Relações Públicas?

Como disse o mercado está aberto para bons profissionais, mas é necessário ter uma boa formação, capacidade crítica e cultural, estar envolvido com as melhores práticas do mercado, estar aberto ao aprendizado.

Muitos recém-formados acham que a fase de aprendizados acaba com a conclusão da faculdade, mas é justamente ao contrário. Este é momento de se envolver ainda mais com a área, com a leitura e com os profissionais, facilitado hoje pelas mídias sociais. É importante também a educação continuada, uma especialização é muito valorizada no mercado de trabalho. 

Minha dica para os profissionais é atuarem com máxima qualidade e eficácia nas ações a que se propõem, garantindo a visibilidade e o reconhecimento a que nossa profissão faz jus. Somente com uma atuação estratégica e de resultados seremos reconhecidos como uma profissão forte e necessária para as organizações e para o mercado.
Portanto mãos a obra.    
Sucesso, Ricardo Campos!