Grandes ideias regionais: 7 motivos para conhecer o Local Hostel Manaus

O post de hoje é totalmente dedicado ao Local Hostel Manaus, localizado na Rua Marçal (sede 1) e na Rua Libânia (sede 2), ambas no Centro da Cidade de Manaus. Não podíamos deixar de compartilhar o nosso mais novo parceiro e tudo que ele tem a oferecer. Então, sem mais delongas, vamos ao que interessa:

É um local aconchegante

O Local Hostel oferece qualidade e conforto não só para os turistas, mas também para quem reside em Manaus. Conta com um ambiente ecológico e sustentável, além de ser bem localizado e próximo a pontos turísticos como o Teatro Amazonas e do Largo São Sebastião, onde também encontramos diversos museus, bares e restaurantes.

foto1

É impossível não se encantar com a decoração

Conta com móveis reaproveitados e de materiais reciclados. As camas e lockers são todos elaborados a partir de madeiras com selo verde. Essa é uma das principais missões do hostel que leva a bandeira da sustentabilidade e, para isso, conta com alguns parceiros que ajudam desde sua decoração à coleta de lixo, além de promover palestras sobre o assunto, como ensinar reciclagem, fazer adubo orgânico e montar horta vertical.

Está sempre fazendo parcerias

A realização de eventos culturais no local incentiva a troca de conhecimento, tanto que o RPManaus é um dos seus mais novos parceiros. E ainda tem a colaboração do Veraneio foodtruck, com deliciosos hambúrgueres e receitas próprias por um preço super bacana, inclusive com sabores vegetarianos.

As acomodações são as mais variadas

Desde dormitórios, que acomodam até dez pessoas, a suítes diferenciadas. Inclusive, vários famosos já se hospedaram no Hostel, já pensou você se hospedar e encontrar alguém que você é fã?

Tudo é muito inspirador

Umas das suítes se chama Hamza e ela tem esse nome porque foi inspirada no gigante aquífero (quando o volume de água é abaixo da terra, ou seja, é subterrâneo) que leva o mesmo nome, que se fosse um rio seria maior que o Rio Amazonas. Antes, no lugar que fica essa suíte, era um porão.

foto11

O que tudo isso tem a ver com Comunicação?

Uma das muitas curiosidades é que donos ficaram durante um ano se hospedando em diversos hostels da região Norte para saber no que eles poderiam fazer de diferente. Isso nada mais é que pensar estrategicamente e sair caixa, a comunicação fica muito mais clara quando sabemos quem são os nossos concorrentes e o que eles oferecem. Tudo fica mais prático quando criamos experiências e contatos.

E, não menos importante…

Eles têm seus próprios produtos, olha que graça essas camisetas. Nós já temos as nossas. Também tem um bar e wi-fi, quem não gosta, né?

foto15

Então, a partir de tudo isso, já pensou em reunir seus amigos e passar uma noite lá só criando boas histórias? Ou, se você é de outro estado, não seria maravilhoso estar em contato com outras culturas num só espaço? Você pode marcar uma visita pra conhecer as duas sedes ou acessar as redes sociais Facebook e Instagram https://www.facebook.com/localhostelmanaus/

Pra reservas e informações, ligue +55 92 32139159 (sede 1) e 92 32136079 (sede 2), ou envie um e-mail para contato@localhostel.com.br

Você vai contar com um lugar bem hospitaleiro, com qualidade e foco sustentável. É disso que Manaus precisa pra evoluir em questões turísticas e econômicas: negócios inovadores! Nós da RP Manaus agradecemos pela parceria e que estejamos juntos em muitas outras realizações.

Autores: Talitha Teixeira, acadêmica de jornalismo; e Sabrina Silva, publicitária.

Fotos: Nathalya Brandão e Klauson Dutra

Vai ter iPhone 6 no Brasil, sim!

Depois de quase dois meses, da apresentação dos novos produtos da magnata Apple, finalmente temos boas notícias para os consumidores brasileiros da empresa. A data de chegada do iPhone 6 e do iPhone 6 Plus nas prateleiras das lojas do Brasil foi divulgada. Os novos celulares começarão a ser comercializados no dia 14 de novembro de 2014.

19160132672505

A Claro, empresa de telefonia móvel, já anunciou o início da pré-venda do aparelho para amanhã (01/11). É esperado que outras operadoras também anunciem o serviço no decorrer da próxima semana. A homologação do aparelho para sua venda no território do Brasil ocorreu no dia 17 de outubro.

A divulgação da data da chegada ao Brasil dos novos produtos acontece alguns dias depois da divulgação, pela própria Apple, de uma lista contendo 36 países que seriam contemplados com os novos aparelhos. O Brasil ficou fora de tal lista.

Fonte: Techtudo

Por: Valber Silva, 2º período de RP.

Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação Social – ENECOM

Olá, você já ouviu falar no ENECOM?

O Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação Social, o ENECOM, terá a sua 33ª edição realizada no Distrito Federal em 2012. O evento reune estudantes de comunicação de diversas regiões do Brasil, no intuito de realizar discussões a respeito da educação, da comunicação e da sociedade, além de propiciar vivência com movimentos sociais e organizar espaços de articulação do movimento estudantil de comunicação.

A Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação, a ENECOS, que dentre outras atribuições, organiza os encontros estudantis de comunicação, completou 21 anos de existência este ano. Ao longo de sua história, pôde acumular formulações e contribuições importantes para pautas acerca de temas como Democratização da Comunicação, Combate às Opressões, Qualidade de Formação do Comunicador, Comunicação e Cultura Popular e Movimentos de Base; além de acumular um histórico de mobilizações importantes para a consolidação de um movimento estudantil alinhado à sua realidade social.

Democratização da comunicação 

Porque democratizar a Comunicação?

As concessões dos grandes veículos de comunicação no Brasil estão concentradas nas mãos de onze grupos empresariais, familiares e religiosos: Família Marinho (Globo), Abravanel (SBT), Saad (Band), Frias (Grupo Folha), Mesquita (Estadão), Civita (Grupo Abril/Veja), Igreja Universal (Record), dentre outras famílias e oligarquias regionais, tais como a família Sarney no Maranhão, a família Magalhães na Bahia, etc. Das 34 redes brasileiras de TV, quatro delas (Globo, SBT, Band e Record) controlam 843 de 1.151 veículos, aí incluídas as geradoras e as retransmissoras. Formou-se um monopólio e essas famílias comandam a agenda midiática do país.

Segundo dados do site Donos da Mídia (www.donosdamidia.com.br), de 2009, cerca de 270 políticos são donos de uma ou mais emissoras de rádio e/ou TV no Brasil. Há casos antigos e notórios, como os dos senadores José Sarney (PMDB-AP) e Fernando Collor de Mello (PTB-AL), ambos, figuram como donos de três concessões de rádio e uma de TV, sem contar os veículos impressos. Sarney, hoje Presidente do Senado Federal e aliado da presidenta Dilma Rousseff (PT) foi o 31º presidente do Brasil (1985 a 1990) e usou como ninguém a liberação das outorgas como instrumento de barganha política. Foram negociadas 418 novas concessões de rádio e televisão para garantir a aprovação pelo Congresso Nacional do mandato de cinco anos para presidente da república, sendo os beneficiados parlamentares, prefeitos, governadores ou seus parentes ou sócios. Assim, o governo Sarney distribuiu 1028 concessões de rádio e TV, número que representa 30% das concessões outorgadas desde 1922 no Brasil (JAMBEIRO, 2000. Ibid Cultura política e democratização da comunicação no Brasil. LOPES, Ivonte, 2011).

Esse exemplo emblemático precisa ser apontado para que se compreenda que os políticos responsáveis pela regulamentação da Comunicação do Brasil e pela aprovação de um Marco Regulatório das Comunicações, são os mesmos que comandam as oligarquias midiáticas do país. Nos grandes veículos de comunicação, seus proprietários obtém o que mais lhes interessa: o poder.

A instituição imprensa tem um enorme poder sob a formação da opinião pública no Brasil, país com uma diversidade étnica, cultural e social gigantesca, mas a pluralidade de vozes do nosso país não e mostrada dentro desses veículos hegemônicos, a Televisão no Brasil ainda é feita para uma classe média/alta de homens, brancos e heterossexuais.      
    
Nesse contexto, temos de um lado os grandes oligopólios privados que dominam os mercados das telecomunicações, com seu projeto que mercantiliza a comunicação, e do outro lado estão mais de 190 milhões de brasileiros ludibriados com a qualidade técnica das produções, mas tendo seu direito a voz negado. No Brasil, a “elite intelectual” e os governos federais e estaduais, defendem o direito à liberdade de expressão como se fosse apenas a liberdade de trocar de canal quando for desejado e aliberdade da imprensa como se fosse a liberdade da empresa.

Você pode “decidir” o que irá ouvir, mas não o que quer ouvir, nem tão pouco sonhar em ser ouvido por esses veículos de comunicação. O motivo é muito simples, o projeto de comunicação que esta em vigor hoje no Brasil coloca a comunicação como uma mercadoria, onde um minuto, em horário nobre, na maior rede de televisão do país custa o equivalente a 40 carros populares. É preciso também ter claro que essa disputa de projeto acontece por vários âmbitos e através de várias ferramentas, principalmente na luta pela Democratização do setor.

A ausência de um marco regulatório nas comunicações só favorece o crescimento desses grupos hegemônicos. Essas empresas costumeiramente impedem a disseminação dos pontos de vistas e ideias das quais divergem, impedindo que uma comunicação verdadeiramente social seja feita, afetando a democracia, a escolha individual e a liberdade dos cidadãos e cidadãs do país.

Vários países já possuem seus marcos regulatórios para as comunicações, como o Reino Unido, Portugal, EUA, Alemanha, dentre muitos outros. No Brasil a pauta da Democratização da Comunicação já foi discutida pelo governo, mas ainda é uma realidade distante.

No segundo semestre de 2010, no final do governo Lula/PT, o governo federal montou um grupo com a finalidade de elaborar um anteprojeto de nova lei para o setor das comunicações que tratava principalmente das concentrações de audiência, proteção às produções nacional e regional e às crianças e adolescentes. Passados mais de um ano e quatro meses do início do governo Dilma Rousseff/PT, incertezas cercam o novo marco regulatório. Ainda não se sabe quais pontos serão abordados pelo Ministério das Comunicações para regular o setor, praticamente livre de regras.

Para ludibriar e amedrontar a população, os grandes proprietários dos veículos de comunicação usam o velho fantasma da ditadura militar e afirmam que a regulamentação das comunicações seria uma tentativa de censura. Censura esta que é praticada por eles rotineiramente, quando se negam a mostrar a diversidade cultural e social do nosso país, censurando assim milhões de brasileiras e brasileiros.

Uma das alternativas importantes pra democratizar a Comunicação é a universalização da Internet e a regulamentação do setor. Atualmente, cerca de noventa por cento da população dos países desenvolvidos tem acesso à internet de qualidade. Em países da África, esse número cai para dez por cento. Para falar-se em universalização da internet, é necessário, primeiro, garantir o acesso de qualidade também à população mais pobre.

Em 2000, a ONU realizou a Cúpula do Milênio, na qual 191 países aprovaram as Metas do Milênio. Esses países, inclusive o Brasil, se comprometeram a cumprir, até 2015, oito metas de redução da desigualdade e da pobreza, e entre essas metas está à universalização do acesso a Banda Larga. Para cumprir esse acordo, o Ministério das Comunicações apresentou, no inicio de 2010 o “Plano Nacional de Banda Larga: O Brasil Conectado”, mas o projeto, assim como muitas outras políticas implementadas no setor, foi estruturado para beneficiar as grandes empresas, em detrimento da qualidade do serviço oferecido para a população, o que acaba intensificando a privatização do setor.

Tendo em vista toda a problemática das comunicações e a necessidade de assegurar o direito humano a comunicação e a liberdade de expressão, a Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social – ENECOS promove o XXXIII Encontro Nacional de Estudantes de Comunicação para ampliar os debates sobre Comunicação Social e fortalecer a luta pela Democratização da Comunicação.

Interessou-se? Responda esse e-mail com seu nome, telefone e universidade.
Mais informações: 
Grupo do facebook: 
              
https://www.facebook.com/groups/203024963091822/

            Site da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (Enecos):
              
www.enecos.org

"Oportunidade de interação e conhecimento"

O que é INTERCOM?

A INTERCOM: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação é uma instituição sem fins lucrativos, destinada ao fomento e à troca de conhecimento entre pesquisadores e profissionais atuantes no mercado.

Fundada no dia 12 de dezembro de 1977 em São Paulo, a INTERCOM preocupa-se com o compartilhamento de pesquisas e informações de forma interdisciplinar. Além de encontros e simpósios, a instituição promove um Congresso Nacional o maior evento na área de pesquisa em Comunicação, que recebe média de 3.500 pessoas anualmente, entre pesquisadores e estudantes do Brasil e do exterior. O evento, sediado em cidade escolhida pelos sócios no ano anterior, é precedido de cinco Congressos Regionais.


O INTERCOM 2012 comemora 35 anos e  será sediado em Fortaleza na Universidade de Fortaleza é reconhecida como a melhor universidade do nordeste brasileiro.

O XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação está marcado para os dias 02, 03, 04, 05 e 06 de setembro de 2012. O tema dos congressos é “Esportes na Idade Mídia: diversão, informação e educação”.

Além da super homenagem especial para ex-presidente da instituição Margarida M. Krohling Kunsch. (Relações Públicas) autora de vários livros na área de Relações Públicas, organizadora de cerca de 30 coletâneas de Ciências da Comunicação, Comunicação Organizacional e Relações Públicas.

Margarida M. Krohling Kunsch

O link para as inscrições serão liberados a partir de 05/04.