A Semeadora: Professora Martha Falcão

A iniciativa RPManaus lamenta o falecimento da Professora Martha Falcão, na manha desta quinta-feira (08/09) na cidade de Manaus. Há dez dias Professora estava internada para tratar de uma pneumonia. Ela faleceu após uma parada cardíaca.

O velório será no salão nobre do Instituto de Educação do Amazonas (IEA), e será aberto ao público.

A SEMEADORA

Professora Martha Falcão foi um exemplo de amor a sua terra natal, às pessoas, à vida de ser professora. Foi pesquisadora, educadora e cientista. Pioneira na luta pela preservação das nossas riquezas. Sempre acreditou que o Amazonas poderia se desenvolver, se fosse dada ao ribeirinho, ao caboclo a orientação necessária para utilizar a terra e a água para seu sustento. Mesmo antes desse clamor pela Fome Zero, professora Martha mostrava aos seus alunos e à comunidade  amazonense que se nada fosse feito a fome e a miséria chegariam. Por isso, mesmo chamada de “louca”, como ela costumava dizer, continuou seu grito de alerta, desenvolvendo projetos voltados à comunidade como “Projeto de Estacas de plantas frutíferas; Projeto frutíferas; Inventário Florestal de Capoeira do Campus Universitário; projeto Floresta de Alimentos projeto Clube  do Futuro Cientista do Martha Falcão do qual é presidente de honra.

Iniciou sua vida profissional em 1951, como professora primária no grupo escolar Carvalho Leal na Cachoeirinha, onde lecionou gratuitamente por dois anos. Nas escolas Getúlio Vargas e Euclides da Cunha foram 7 anos junto aos pequenos, ensinando a arte de amar ciência, passou a dar aulas no curso secundário, nas escolas IEA, Colégio Brasileiro, Colégio Santa Dorotéia, Colégio Nossa Senhora Auxiliadora.

Texto: Retirado do site Colégio Martha Falcão

Vídeo: Gente que faz – Profa. Martha de Aguiar Falcão

Anúncios

GRANDES IDEIAS INOVADORAS: Instituições Nelly Falcão de Souza

Para a segunda edição da série: Grandes ideias inovadoras, convidamos a Professora Nelly Falcão para contar um pouco sobre suas experiências como empreendedora educacional, sua visão de mercado e suas perspectivas para o futuro da educação no Amazonas.

_MG_9145.JPG

Empresária Nelly Falcão de Souza

Nelly Falcão de Souza Mestre em Educação pela Universidade Federal do Amazonas e graduada em Pedagogia. No ano de 1995 iniciou sua vida profissional na direção do Jardim da Infância “Chapeuzinho Vermelho” nos anos de 79 e 80, passando a proprietária e diretora  do Pinocchio Centro Educacional (1981), destinado à Educação Infantil.

 Em 1986, fundou o Centro de Educação Integrada Professora Martha Falcão, com Ensino Fundamental e Médio. Em 2000 criou o IESA – Instituto de Ensino Superior da Amazônia, tendo como mantida a Faculdade Martha Falcão para atender o Ensino Superior, com os cursos de: Administração Financeira, Administração do Meio Ambiente, Direito, Pedagogia, Ciências Contábeis, Psicologia e Design; de Pós Graduação (Lato Sensu). Há 25 anos mantém a Creche Zezé Pio de Souza, através da Fundação Geraldo Pio de Souza, instituição sem fins lucrativos de utilidade pública que atende a crianças carentes do bairro da Redenção, na cidade de Manaus-AM, ainda no mesmo local, tem o Núcleo de Alfabetização de Jovens e Adultos carentes.

Em entrevista ao RP Manaus, a educadora faz análises sobre a educação no estado do Amazonas. Confira a entrevista completa abaixo:

RP Manaus: Qual foi a motivação para empreender no ramo da educação?

“Foi a minha paixão pela educação que veio de berço.”

RP Manaus: Quais foram/são os seus maiores desafios como gestora?

“Os maiores desafios: montar uma equipe qualificada e comprometida para executar o nosso Projeto Político Pedagógico, conquistar a confiança da sociedade em nossa proposta educacional, superar as dificuldades impostas pela falta de incentivo do poder público e a falta de valorização com as causas educacionais, não é fácil empreender na área do ensino privado.”

RP Manaus: Como se encontra a educação atual do país, principalmente da região Amazonica? De que forma a INFS colabora para a inclusão das classes mais baixas na educação?

“A educação brasileira, de modo geral, ainda está muito aquém de ser referência no panorama mundial, está entre as piores no ranking da UNESCO, principalmente o Ensino Básico.  No Amazonas, infelizmente a qualidade da educação ainda é pior, sendo o ensino público o responsável por esse desprestígio da educação em nosso Estado, salvo exceção o ensino privado, que contra balança essa situaçãocom destaque para o ensino básico.As INFS contribuem para inclusão das classes menos favorecidas, através de um trabalho sócio educacional desenvolvido há 25 anos na Creche Zezé Pio de Souza, para crianças pobres de 2 a 6 anos idade que recebem educação, alimentação e assistência psicológica. A Creche fica na Rua Estrela Rajada, Bairro da Redenção. A Creche também abre oportunidade para estágios e projetos dos cursos de pedagogia, psicologia, licenciaturas, entre outros. Os alunos das nossas instituições particulares são principais responsáveis em desenvolver projetos de responsabilidade social.”

RP Manaus: Sabemos que a sociedade atual está vivenciando um colapso de informações e muita gente diz que quanto mais informação, menos sabedoria é agregada. Como gestora de educação, qual é o seu posicionamento quanto a isso? A senhora acha que essa globalização mais ajuda ou atrapalha no aprendizado das pessoas?

“De fato hoje vivemos a era da informação em consequências da velocidade dos meios de comunicação e a facilidade do acesso através das novas tecnologias.

O que fazer com tantas informações? Eis o grande desafio das escolas, fazer a gestão desses conhecimentos para que o aluno adquira competências e habilidades para aplicar o conhecimento adquiridos no exercício de sua profissão.

A Globalização contribuiu sim na socialização das informações, estreitou as distâncias, tornou o mundo plano, partindo desse ponto de vista , ela ajudou na aprendizagem das pessoas. Porém há também o lado negativo, principalmente quando se fala em mercado de trabalho, pois diminui as oportunidades de empregos, além das perdas de raízes culturais, e respeito a diversidades.”

RP Manaus: O que a senhora deseja pra essa nova geração de profissionais que estão adentrando a área de educação, do magistério agora e quais dicas a senhora pode dar para eles?

“Desejo que nunca desistam de exercer a profissão que escolheram por se sentirem vocacionados, o magistério, por exemplo, é para quem tem vocação. Somente com bons professores é que podemos mudar a cara da educação brasileira e consequentemente a educação do Amazonas. E minhas dicas são o amor pelo trabalho, estudar sempre, adequar-se ao contexto, dominar a tecnologia, gostar de lidar com pessoas, de pesquisa e de desafios.”

 

Assessoria de Comunicação, Carolina Xavier Falcão, estudante de relações públicas, na Universidade Federal  do Amazonas

 

I Workshop sobre Empreendedorismo, Tecnologia e Vendas na web

Nesta quinta-feira, 30 de Agosto, às 15h será realizado no auditório Nelson Falcão o I Workshop sobre Empreendedorismo, Tecnologia e Vendas na web da INGRESSE.

O evento contará com a presença do empreendedor Marcelo Herique, jovem de apenas 23 anos que fundou a empresa INGRESSE e já atraiu importantes investimentos, como o da aceleradora do Vale do Sílico “500 Startups”. O objetivo do evento é disseminar as tendências de empreendedorismo digital através da exposição prática de empresas que investiram nesse segmento, assim como estimular a discussão interdisciplinar do tema pelos alunos da Faculdade Martha Falcão e público de interesse.
Serão concedidos  certificado de atividades complementares aos 
participantes.